31/01/2020 às 11h48min - Atualizada em 31/01/2020 às 14h06min

Escola em Minas Gerais se antecipa às novas normas do MEC para o Ensino Médio e amplia grade curricular

Estudantes terão acesso a módulos formativos, em diversas áreas do conhecimento, e poderão optar de acordo com o grau de afinidade com os temas propostos

DINO

O ano letivo terá início, em fevereiro, com novidades na grade curricular para os estudantes das 1ª e 2ª séries do Ensino Médio do Colégio Santo Agostinho em Belo Horizonte (nos bairros Santo Agostinho e Gutierrez), Contagem e Nova Lima. A escola se antecipou às novas normas do Ministério da Educação (MEC) —com o aumento da carga horária da grade curricular para além das matérias clássicas, a partir de 2021— e criou o projeto VOOU, que consiste na oferta de módulos formativos interdisciplinares que conciliam abordagens pedagógicas e habilidades socioemocionais.
 
De acordo com a gestora pedagógica do Colégio Santo Agostinho de Nova Lima e coordenadora do projeto, Júnia Rohlfs, cada aluno definirá, por semestre, a escolha de um módulo, de acordo com a vontade ou necessidade de desenvolver habilidade em diferentes temáticas, como "Educação Financeira", "Investigação Forense", "Ciência no Esporte", "Fotografia Científica", "Cinema: teoria e crítica", entre outras. Segundo ela, "foi feita uma pesquisa com os alunos para dar mais significado ao projeto e apresentar metodologias diferenciadas, com processos de avaliação totalmente diferentes do currículo escolar convencional".
 
Foi pensando nisso que a aluna Beatriz Oliveira Sathler Guimarães, da 1ª série do Ensino Médio, escolheu cursar o módulo "Redes Sociais, Novas Mídias, Política e Sociedade" na unidade Nova Lima. "Estou com grandes expectativas, porque, desde o ano passado, quando foi anunciado que teríamos os módulos formativos, já estava esperando alguma opção relacionada a debates e troca de ideias sobre a sociedade atual, fake news e pós-verdade. Acredito que essa iniciativa vai ampliar nossos horizontes e proporcionar conhecimento além da sala de aula", afirma Beatriz.
 
Júnia Rohlfs afirma que o projeto propõe gerar mais autonomia para que os estudantes sejam protagonistas dos próprios caminhos. "A intenção é capacitá-los para que eles saiam do Santo Agostinho mais preparados para os desafios da vida. Queremos proporcionar aos nossos jovens, ainda no Ensino Médio, experiências alinhadas com os seus próprios desejos e anseios."


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »